Fotomaratona em Lisboa – 50 objetivos para fotografar a cidade no seu melhor! (with English version)

fotomaratona 50 objetivos

Sempre que é feriado em Portugal, decido tirar o dia para não fazer rigorosamente nada. Portanto, de acordo com a tradição, o meu plano para o dez de Junho era nada fazer. No entanto, e por sorte, alguém conseguiu a audácia de quebrar esta tradição indolente e inventar a FotoMaratona.

A Fotomaratona é um jogo urbano que consiste em fotografar uma série de objectivos pela cidade fora. E atenção que o conceito de “maratona” pode parecer alarmante, mas não há nada a temer! Só corre quem quer.

lisboa, rua garret, fotomaratona, 50 objetivos, fotografia, competição de fotografia

Objetivo 43: Fotografar a “malta radical” da Rua Garret

E foi assim que lá me meti na FotoMaratona, com o Pena, para invertermos a tendência, e sobretudo para termos uma desculpa para não ter que estudar para o exame que tínhamos dois dias depois.

Quando chegámos ao Miradouro de S. Pedro de Alcântara, já havia centenas de pessoas, todas à espera para receber o papel com os 50 objectivos. Havia de tudo, desde “Tomar um café com o Fernando”, a fotografar turistas de chinelos e meias brancas, um cachorro quente humano ou alguma coisa que simplesmente cheirasse mal.

fotomaratona, lisboa, concurso de fotografia, 50 objetivos para fotografar, miradouro de são pedro de alcantara

Objetivo 27: 3 pessoas com chapéu igual! – Três muuuuito típicos portugueses!

elétrico, lisboa, tram, bondinho lisboa, fotomaratona, 10 de junho, dia de portugal, portugal, fotografia

Objetivo 17: Fotografa o teu parceiro a guiar um elétrico

Começámos então a galgar Lisboa enquanto líamos as missões em voz alta, sempre atentos, a ver se encontrávamos um número de porta com três algarismos iguais, uma pessoa com mais de 80 anos, três pombos, ou um tuga com pata-de-urso. Parecíamos parvos a olhar para os pés das pessoas, ou a rezar para que o quarto pombo se fosse embora para ficarem apenas três – e o mais engraçado é que todos os outros participantes pareciam ainda mais parvos (na nossa óptica, suponho que a deles seja inversa). Isto para não falar dos participantes-atletas, que volta e meia apareciam a bufar e a escorrer suor!

dedicação de amor, fotomaratona, lisboa, portugal, competição de fotografia, corrida de fotos

Objetivo 47: Faz o origami mais criativo que conseguires. Humm..Uma declaração de amor, talvez?!?!

graffiti, arte urbana, lisboa, portugal, street art, fotomaratona, baixa, chiado

Objetivo 8: um graffiti que seja só um desenho!

fotografia da fotografia, fotomaratona, lisboa, portugal, fotografia

Objetivo 11: tirar uma fotografia a uma fotografia de uma fotografia de uma fotografia

Via-se a maré de t-shirts brancas a infiltrar-se pelas diferentes ruas, pois cada um optava pelo seu próprio percurso. Era engraçado ver como havia quem desse primazia ao relevo, outros à geografia e outros ao estilo – que era freestyle e muito logo-se-vê.

O nosso foi minimamente ponderado, numa rota de circum-navegação que (supostamente) passava por todos os pontos necessários sem os repetir. Assim nos guiámos pela Baixa, Terreiro do Paço, Rossio e Bairro Alto, em voltas mirabolantes em que íamos conhecendo as pessoas, os feirantes, os manifestantes, os condutores, os cozinheiros e os participantes.

gula, fotomaratona, lisboa, portugal, 50 objetivos para fotografar, concurso de fotografia, primeira fotomaratona em lisboa

Objetivo 23: Quando comes bolo da marta, que pecado cometes? GULA!!!

É que os objectivos obrigavam a interagir, e portanto não se tratou apenas de fotografar a cidade, se não as suas pessoas e as suas tradições. Foi assim que conhecemos a dona Maria e a sua cozinha, o “Taxista com bigode” que disputou um braço de ferro com o Pena, e as irlandesas, inglesas e espanholas que seleccionámos para servirem de letras humanas na redacção da palavra FOTO.

palavra foto com pessoas, fotomaratona, lisboa, portugal, fotografia, prova de fotografia, corrida em lisboa, feriado 10 de junho, dia de portugal

Objetivo 24: Faz a palavra FOTO com pessoas!

Chegámos ao fim cansados, mas satisfeitos. Foi dos feriados mais bem passados da minha jiboiante existência, e uma experiência que se aconselha a todos – alfacinhas e outros vegetais. Há vinte anos que vivo nesta cidade e nunca tinha desfrutado tanto da sua riqueza e ambiente. Neste feriado, graças à FotoMaratona, foi diferente!

Fui-me embora contente por ver a felicidade das nossas gentes e por poder orgulhosamente pensar que ainda bem que vivo aqui e com estas pessoas.

Obrigado a todas elas, aos organizadores, e ao meu grande parceiro Pena!

Escrito por Francisco Pereira Coutinho – ver aqui

Para quem quiser, a partir de agora aceitam-se guest posts

**********

ENGLISH VERSION

FOTOMARATONA IN LISBON – 50 OBJECTIVES TO PHOTOGRAPH THE CITY IN ITS BEST!

Every time there’s a holiday in Portugal, I always take the day to do absolutely nothing. So, according to tradition, my plan for the 10th of June was exactly that. However, and luckily, someone had the audacity to break this lazy tradition and create the Fotomaratona.

The Fotomaratona is an urban game consisting in photographing a series of objectives throughout the city of Lisbon. And note that the concept of “marathon” might seem frightening, but there’s nothing to fear! There’s really no need to run!

So that’s how I got into this Fotomaratona with Pena, to invert the tendency, and most of all, to have an excuse not to study for the exams!

When we got to Miradouro S. Pedro de Alcântara, there were already hundreds of people waiting to get the paper with the 50 objectives. There were all sorts of objectives, from “Have a coffee with Fernando”, to “Photograph tourists wearing flip-flops and white socks”, “make a human hotdog” or “photograph something that stinks”.

We started walking while we read the objectives, always aware. We were looking for the door number with three equal figures, someone older than 80, 3 doves, or some Portuguese guy with huge feet. We looked like idiots staring at people’s feet, or praying for the forth dove to leave and have the three that we needed. And the funniest thing was that all the other participants looked even more stupid than us (in our opinion, I’m sure theirs were the opposite). And don’t forget the athlete-participants, who would show up snorting and sweating like crazy.

There was a tide of white t-shirts spreading into different streets, each one choosing their own path. It’s funny to see how some would favor relief or geography and others preferred style – a free style, very let’s-hope-it-comes-out-ok!

Ours was slightly planned, in a route of circumnavigation that was supposed (only supposed!) to pass in all necessary spots without repeating any. So we passed by Baixa, Terreiro do Paço, Rossio and Bairro alto, walking through improbable routes and making friends with the people, the street merchants, the harmless rioters, the drivers, the cooks and all other participants.

The objectives made us interact, so it wasn’t just about taking photos to the city, but also meeting people and their manners. That’s how we met Mrs Maria, the cook, the “mustached taxi driver” who had an arm wrestling dispute with Pena, and the Irish, English and Spanish girls that we selected to form the word FOTO.

In the end, we were tired, but satisfied, it was a very good afternoon. It was one of the best holidays spent in my lazy existence, an experience everyone should go for next time. I’ve been living in Lisbon for 20 years and had never enjoyed its vibe and atmosphere as much as I did during the Fotomaratona.

I went home happy to see how cheerful our people is, thinking how proud I am to live here surrounded by these people.

Thank you to all of them, to the ones who made this event possible, and to my partner Pena!

Writen by Francisco Pereira Coutinho – see here

From now on, guest posts are welcome!

**********